Arquivo da categoria: Sociedade Vril

Sociedade Vril

 SOCIEDADE SECRETA VRIL – GESELLSHAFT

Terminada a Primeira Guerra Mundial, que teve lugar entre 1914 e 1918, assinado o Tratado de Versalhes que definia as fronteiras dos países europeus, nomeadamente os territórios alemães e da Prússia Oriental, proibida que foi à Alemanha de possuir forças armadas, as Sociedades Secretas começaram a eclodir um pouco por todo o país…

e assim, esta história começa no ano de 1919, quando um alemão de nome Kaspar Haushofer funda uma sociedade secreta (paralela à sociedade secreta THULE-GESELLSCHAFT, que atuava apenas a nível político-econômico) designada por BRUDER DES LICHTS (os irmãos da luz), cuja designação foi alterada nesse mesmo ano para VRIL-GESELLSHAFTVRIL-GESELLSHAFT cujo objetivo essencial era o de estabelecer uma relação entre as observações de Óvnis que vinham sendo registadas desde a idade média, no centro-norte da Europa, e as antigas civilizações da Mesopotâmia.

Uma vez que os membros dessa sociedade secreta estavam convencidos que os povos daquela região eram descendentes de extraterrestres (oriundos do sistema solar de Aldebaran, cujos habitantes teriam iniciado a colonização do Universo há 500.000 anos, e atingido o nosso sistema há poucos milhares,  aterrando na região da Mesopotâmia, onde constituíram uma “casta superior”), nos finais daquele ano de 1919, a VRIL contatou uma médium, famosa na época, chamada Maria Orsic, para que com eles trabalhasse no intuito de apoia-los na investigação da existência de vida extraterrestre.

Ainda, segundo documentos capturados pelos aliados após a tomada de Berlim em 1945, a “médium” teria “recebido mensagens telepáticas (?) de origem extraterrestre” nas quais era-lhe descrito como construir uma máquina voadora para poder atingir o “outro lado”, com o auxílio de “uma tecnologia divina”.

Três anos mais tarde, a sociedade VRIL, com o apoio do Dr. W. SCHUMANN, professor da Universidade Técnica de Munique, iniciou a construção da dita “máquina voadora”.

No Verão de 1922 a “estranha máquina” parecia estar pronta. Era um objeto em forma de disco, com de 6 metros de diâmetro, um “torreão”  com 2 metros de altura, e que funcionava através da criação de campos eletromagnéticos.

Ao certo, não se sabe se aquela “geringonça” funcionou; o que se sabe é que, pouco depois, foi desmantelada.

Misticismo nazi

Wikipédia

Misticismo Nazi é um termo usado para descrever uma subcorrente do Nazismo quase religiosa, caracterizando-se pela combinação do nazismo com o ocultismo, o esoterismo, a cripto-história e o paranormal. Alguns casos atribuem uma importância religiosa à Adolf Hitler e à sua doutrina.

O misticismo nazi tem a sua origem nas ideias racistas de Arthur de Gobineau, Guido von List e Jörg Lanz von Liebenfels que tiveram um papel importante no início e vieram a fundar movimentos após a guerra. Oficiais Nazistas de alta patente como Heinrich Himmler, Rudolf Hess e Walther Darré foram conhecidos pelo seu interesse no misticismo e no paranormal.

O papel desempenhado pelo misticismo no desenvolvimento do Nazismo e dos seus ideais foi imediatamente identificado em 1940 por Lewis Spence na sua obra “As causas ocultas da presente guerra”. O esoterismo hitleriano centra-se nas mitologias pagãs, pré Cristãs como a Hindu e a Samurai.

Os Teutões de uma forma geral e os Povos Germânicos de uma forma particular serviram de base para a crença na Raça Ariana, e da sua superioridade sobre todas as outras. Foram sugeridas diferentes origens para o ínicio desta raça superior, desde a Atlântida, Thule na Escandinávia, Hyperborea naGrécia e Shambhala no Tibete. Outro pensamento dominante era o de que esta raça superior tinha sido enfraquecida por se misturar com outras raças “inferiores”.

A Sociedade Vril não tem atividades documentadas até 1915, mas crê-se que foi fundada pelo General Karl Haushofer, um aluno do mágico e metafisico russo Georg Ivanovitch Gurdjieff. Em Berlim, Haushofer fundou a Sociedade Vril. O seu objetivo era explorar as origens da raça ariana e praticar exercícios de concentração para a acordar as forças de Vril (uma raça subterrânea, baseada na obra de ficção A Raça Futura, de Edward Bulwer-Lytton). Quer Gurdjieff quer Haushofer afirmavam ter contatos com fontes tibetanas que tinham o segredo dos “super-homens”. Há quem afirme que o poder persuasivo de Hitler adivinha dos segredos ensinados por Gurdjieff, que tinha aprendido com os Sufis e os Lamas tibetanos, e estava familiarizado com os ensinamentos Zen da Sociedade Japonesa do Dragão Verde.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Misticismo_nazi